Notícias

Análise crítica do sistema de gestão de qualidade (SGQ)
02/04/2013 20:40:56

É preciso lembrar que a norma NBR ISO 9001 nos solicita a analisar criticamente algumas coisas, mas, o nosso foco agora é nos concentrar no item 5.6 da referida norma que trata da Análise Crítica do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ).

E qual o seu significado?

Podemos dizer que a análise crítica é uma atividade da Alta Direção que deve aproveitar a oportunidade para mostrar aos participantes do SGQ a aderência deste com o negócio da empresa sob sua ótica. As conclusões de cada item analisados devem apontar um norte para que níveis abaixo possam persegui-lo e tornando o SGQ cada vez mais integrado ao negócio da empresa.

Os itens a serem analisados estão definidos na própria norma, mas é admissível que itens de caráter estratégico possam fazer parte da Análise Crítica, a própria norma nos solicita a analisar pelo menos uma vez por ano a adequação da Política da Qualidade e isto não está definido no item da norma acima citado.

As Análises Críticas devem abordar de forma até didática todos estes itens. Por que de forma didática?

Lembre-se que se a Alta Direção quer passar algum recado para os diversos níveis da empresa e que é este o principal objetivo da AC, isto deve ser de forma clara e concisa. Todos devem perceber que aquele registro atende a norma e ainda evidencia as conclusões sobre a eficácia dos processos do SGQ e suas atividades.

Quando durante estas ACs se depararem com algum desvio, algum não atendimento, alguma não-conformidade espera-se que se inicie a partir daí uma ação corretiva, onde deve ser registrada claramente, inclusive o responsável nominado pela Alta Direção e o prazo que este terá para implementar a ação corretiva.

Análises Críticas cujo texto se limita a concluir os assuntos de forma monossilábica (sim ou não) não agregam valor, uma vez que existe uma infinidade de possibilidades entre estes dois extremos que podem e devem ser explorados a fundo.

Outra situação frequente é a citação que os indicadores foram analisados e estão ok. Mas não ficam demonstrados quais indicadores, quais resultados obtidos e às vezes até não alcançadas às metas sem a devida ação para o restabelecimento dela.

Existem ainda dois itens mal interpretados. O primeiro se refere à recomendação para melhoria e o outro a mudanças que possam afetar o SGQ. Normalmente o foco da análise é o histórico da empresa relativo a esses itens, mas não se percebe que a norma está preocupada com o futuro, com ações planejadas para melhoria e com mudanças planejadas para evitar o caos do SGQ, afinal o futuro não pertence ao acaso ,mas sim ao planejamento adequado de nossas atividades.

A propósito algumas empresas incluem na AC as ações de melhorias, ou as principais melhorias do período que a minha percepção é uma forma de se registrar o progresso do nosso Sistema de Gestão da Qualidade.
 

Últimas notícias