Notícias

O excesso e o desequilíbrio
26/12/2012 20:58:08

Todas as empresas têm excessos e desequilíbrios. Excesso de computadores, móveis, informações, projetos, indicadores, reuniões e, muitas vezes, excesso de gente. Junto com os excessos, vêm os desequilíbrios. Todo o excesso pode ocasionar faltas e o desbalanceamento de recursos. Falta aqui, sobra acolá e o desequilíbrio abala os resultados.

Excesso é característica de grupos subdesenvolvidos e ofende a natureza e a lógica. Conversando com um amigo na volta de uma viagem, ouvi uma boa afirmação: “Uma das lições que aprendi foi me livrar dos excessos. Levei tênis demais, alimentos sem necessidade e alguns acessórios bacanas, mas completamente desnecessários para o objetivo da viagem. Joguei tudo fora para aliviar o peso. Na vida, também deve ser assim.”.
Eu completaria: nas empresas também deve ser assim. Excessos revelam falta de respeito com os recursos dos acionistas e da natureza e, quando falta respeito, falta quase tudo. O excesso de drogas e de álcool mata, o excesso de alimentos engorda, o excesso de recursos fragiliza.

Quando os pais, normalmente por boa-fé, oferecem recursos demais para os filhos, eles não respeitam os limites dos próprios filhos e fazem mal para eles. De forma semelhante, os excessos reduzem o moral das equipes em muitas e muitas organizações, pois todos percebem o desperdício. É muito interessante imaginar-se uma empresa completamente enxuta, fazendo só o que interessa, com nível de burocracia próximo do zero, onde tudo seja muito objetivo e muito bem definido...

No exercício do planejamento estratégico, também deve ser evitado o excesso de ideias, pois foco é fundamental.

Últimas notícias